O Voleibol Brasileiro no Mundo

Competições, Notícias e Regras Oficiais.

Dia fechado a frio não assustam participantes do Regional Leste Norte dos Jesc

Num dia frio, úmido e de baixa visibilidade, devido à neblina, iniciaram as competições do Regional Leste Norte dos Jogos Escolares de Santa Catarina em São Bento do Sul. Logo cedo algumas equipes já estavam em quadra para as primeiras disputas, como é o caso do vôlei masculino, que às 8h30min abriam a rodada com o jogo entre a equipe da escola Erwin Prade de Timbó e a EEB São Bento, time da casa.
E talvez as condições climáticas adversas aliadas ao período de férias escolar, quando não existe o compromisso dos alunos de levantar cedo, foram motivos suficientes para que os atletas da equipe sãobentense parecessem um pouco dispersos em seu primeiro dia de competições no Jesc. Mas ao contrário do adversário, eles já estão acostumados ao clima de montanha da cidade. Do outro lado da quadra estava um time forte, da escola de Timbó, e que manteve no grupo alguns dos alunos-atletas que foram campeões da Olimpíada Escolar Brasileira de 2009 e também representante do país no Sul-americano Escolar.
No final prevaleceu o favoritismo do Erwin Prade com 2 sets a 0 e parciais de 25/6 e 25/10. Em outros resultados do vôlei a equipe de Jaraguá do Sul do Instituto Jangada venceram o grupo da EEB Arno Sieverdt de Pouso Redondo por 2 a 0. No feminino, o Erwin Prade de Timbó também estreou com vitória por 2 a 0, já a equipe do Julius Karsten de Jaraguá do Sul teve um pouco mais de trabalho para vencer a escola EEB São Bento de São Bento por 2 a 1.
No basquete feminino, a equipe do IE Jangada venceu o time da EEB Ana Maria Harger de Joinville por 36 a 21 e ainda no naipe masculino, a EBM Machado de Assis de Blumenau venceu o Colégio Bom Jesus São José de São Bento por 34 a 20.
No futsal masculino, o EEB São João Bosco de Apiúna foi derrotado pelo time da EEB Frei Manoel Phillippi de Imbúia por 7 a 5 e ainda o EBM Juvenal Carvalho de Indaial também perdeu para o time da Cema de Mafra por 7 a 4. Já no naipe feminino, a escola Sinodal Ruy Barbosa, de Rio do Sul, que no ano passado foi o representante catarinense nas Olimpíadas Brasileira, venceu a partida por 3 a 1 contra a EBM Prof. Lúcia Tschoeke de São Bento do Sul. Ainda a EEB Semiramis Bosco de Witmarsum venceu por 3 a 2 o grupo da EEB Prof. Elisa Aguiar de Schroeder.
O Regional Leste Norte ainda teve jogo à tarde em São Bento do Sul, onde a maioria das equipes fariam o segundo confronto. Neste domingo prosseguem as disputas de basquete, futsal, handebol e vôlei, além do tênis de mesa e xadrez. As primeiras modalidades a definirem seus campeões serão o handebol feminino, que está sendo disputado em chave única, além do tênis de mesa, ambos na segunda-feira, dia 26.

Boletim informativo:

http://www3.sol.sc.gov.br/fesporte/atividades/jesc/2010/regionais_2010/sao_bento_sul/bol_ct_jesc_sao_bento_2010.pdf

25 de julho de 2010 Posted by | JESC | Deixe um comentário

Jovem cubano León: “Serei o melhor do mundo”

Grande nome da nova geração de Cuba, o ponta Wilfredo León, de 16 anos, deu uma entrevista ao jornal Lance! antes do duelo contra o Brasil, pela semifinal da Liga Mundial, em Córdoba, na Argentina.

E ele admite que pensa em ser o melhor do mundo. Confira:

Aos 16 anos, dois após estrear na seleção adulta de Cuba, ponteiro projeta futuro glorioso no esporte

1) Você ainda é um atleta novo, mas já tem a difícil responsabilidade de resgatar o vôlei cubano, que não conquista um título expressivo há anos e não disputou a última Olimpíada. Como encara isso?

Encaro com naturalidade, pois me preparei para isso. Logo na primeira vez que fui convocado, já joguei como titular. Meu objetivo é resgatar os áureos tempos do vôlei do meu país. E acredito que, em breve, serei o melhor do mundo. Será algo natural, pois me preparei para ser o melhor.

2) Mas você ainda é muito jovem para uma responsabilidade tão grande, não?

Sei que todas as atenções estão voltadas para mim, mas trabalho como todos os outros jogadores da equipe. Ao mesmo tempo, procuro fazer as coisas que qualquer adolescente faz. Tenho namorada, leio e saio para dançar em discotecas na folga. Mas sem esquecer do vôlei, pois muitas pessoas confiam em mim para meu país voltar a ser campeão.

3) Como foi para você estrear na seleção com apenas 14 anos?

Com grande emoção. Para mim foi algo incrível ser o jogador mais novo a disputar a Liga Mundial. Não fiquei nervoso, simplesmente pensei em apenas jogar. Fiquei muito feliz de poder representar meu país ao lado de outros atletas que, até então, eram somente meus ídolos.

4) E em quem você se inspira para obter sucesso nesta sua dura empreitada?

No Joel Despagne (craque do vôlei cubano na década de 1990). Uma vez me encontrei com ele e foi muito emocionante. Ele me deu alguns conselhos e disse que meu ataque é muito bom. Que se eu mantiver o nível, poderei realmente ser o melhor. Mas também me pediu para que eu melhorasse a recepção e o bloqueio.

5) Falando em conselhos, você é filho da ex-jogadora de vôlei, Alina Venero. Foi ela quem te ensinou os primeiros passos no esporte. Hoje em dia, vocês conversam sobre vôlei?

Minha mãe não vai aos treinos. Mas quando vai me buscar, sempre me pede para melhorar o saque. Sempre acatei os conselhos dela, então passei a dar atenção especial ao saque (León foi eleito o melhor sacador da Liga Mundial 2009). Depois das partidas, minha mãe me manda um e-mail dizendo o que fiz de certo e errado.

6) Você escolheu o vôlei por influência da sua mãe?

Escolhi o vôlei pois foi o esporte que eu mais gostei. Quando era mais novo, cheguei a jogar um pouco de beisebol. Comecei a jogar vôlei aos 7 anos e, aos 11, já fazia parte de seleções de base (com 13 anos, disputou o Mundial Infanto-Juvenil, competição para jogadores até 18 anos).

7) Na Copa América de 2008, em Cuiabá, você ajudou Cuba a derrotar o Brasil, por 3 sets a 2. Na sua opinião, a Seleção Brasileira tem a melhor equipe do mundo atualmente?

Não sei se tem a melhor equipe mas, sem querer menosprezar os outros países, o Brasil tem os melhores jogadores do mundo.

8) Desde 2001, a seleção cubana sofreu com deserções, o que fez a equipe cair de rendimento nos anos seguintes. Qual sua opinião sobre esses acontecimentos, que já afetaram equipes de outros esportes de Cuba?

É um orgulho para mim jogar por Cuba e não penso em deixar meu país.

9) Embora você ainda seja muito novo, tem de pensar no futuro, pois ser jogador de vôlei não é algo para toda a vida. Você já pensa no que vai fazer depois que parar?

Concordo que o esporte é apenas uma etapa da minha vida. Pretendo cursar Educação Física, se possível, conciliando com o vôlei. E gosto de matemática.

10) A medalha em Londres 2012 é o seu foco?

Todo jogador sonha com uma medalha olímpica e eu não sou diferente. Se não conseguir em Londres, espero que ela venha no Rio de Janeiro, em 2016.

25 de julho de 2010 Posted by | Notícias | Deixe um comentário

Contusão pode tirar Vissotto da final

O oposto Leandro Vissotto pode ser a baixa do Brasil na final da Liga Mundial.

Ele deixou a semifinal após levar um pisão no pé esquerdo.

– É muito difícil ficar do lado de fora. Eu senti parte da apreensão vivida pelo Bernandinho. Mas nós temos um ótimo elenco e o Théo entrou muito bem, ajudando a equipe. Isso me deixa contente, apesar de que eu queria estar em quadro. Acredito que vamos conseguir a medalha, pois toda a seleção merece – ressaltou o atleta de 2,12m.

Apesar da confiança, o oposto declarou que todos devem manter o foco para sacramentar o título.

– Temos que ter os pés no chão. Não ganhamos nada ainda. Estamos no caminho para conseguir o nosso grande objetivo, por isso precisamos ter concentração total no duelo. Sabemos da qualidade do adversário e que não será uma partida fácil, mas temos totais condições de vencer e ficar com o título. É isso que queremos e vamos lutar até o fim para conseguir – concluiu.

Ricardinho força para ter Leandro Vissotto ao seu lado no Vôlei Futuro

O levantador Ricardinho foi apresentado oficialmente na tarde desta sexta-feira (23/7) no Vôlei Futuro, de Araçatuba. E, logo na chegada, fez questão de afirmar que está fazendo lobby para a contratação do oposto Leandro Vissoto.

– Se depender da minha vontade e da pressão que eu estou fazendo, acho que já está 98% acertado (risos) – falou Ricardinho, ao Lancenet.

A negociação de Leandro, um dos destaques da equipe italiana Trentino nas últimas temporadas, ainda não está finalizada. Se contratado mesmo, a equipe do interior paulista se tornará uma verdadeira seleção, já que conta também com o central Lucão e o líbero Mário Jr.

Em sua apresentação, Ricardinho expressou sua felicidade:

– Estou muito contente, muito feliz. Minha família está comigo e a primeira impressão que tive da cidade foi muito boa. Apesar de ser da capital, gosto muito do clima de cidade do interior, combina comigo. Estou feliz, agora é só entrar em quadra para treinar e jogar – disse, ao Lancenet!.

25 de julho de 2010 Posted by | Notícias | Deixe um comentário

`O que está em jogo é uma final`, diz o técnico Bernardinho

CÓRDOBA (ARGENTINA), 24.07.10 – Após um clássico, outro clássico. Mas desta vez, valendo a nona medalha de ouro da Liga Mundial. Brasil e Rússia decidirão a final da 21ª edição da competição neste DOMINGO (25.07), às 21 horas (horário de Brasília). Este será o 28º encontro entre brasileiros e russos na história da Liga, e a vantagem é do Brasil. São 17 vitórias contra dez derrotas. Na última vez em que estiveram frente a frente, na Liga do ano passado, a seleção brasileira venceu por 3 sets a 0.

O técnico Bernardinho já adiantou que deverá colocar em quadra para a decisão o time que terminou o jogo contra os cubanos.

“Depois dos jogos que não jogamos nosso melhor, começamos mal a partida, mas depois jogamos como estamos acostumados: com volume, sacando forte e bloqueando. Amanhã temos que jogar com a cabeça, de forma inteligente, com velocidade. Creio que manterei a base que terminou a partida. Não podemos permitir que a Rússia faça muitos pontos de bloqueio como fez na semifinal. Não adianta enfrentar o bloqueio na força. O que está em jogo é uma final. Não importa se vamos ou não passar a Itália e nos tornar o maior campeão da Liga Mundial”, ressalta Bernardinho.

Maior pontuador da semifinal contra Cuba, com 16 pontos, o ponteiro Dante conhece como ninguém a Rússia, onde joga – inclusive, com quatro jogadores da seleção: Grankin, Berezhko, Volkov e Shcherbinin -, no Dinamo de Moscou.

“A Rússia é uma equipe mais ou menos parecida com Cuba. Quando eles estão na frente, fica difícil ultrapassá-los. Mas, quando estão em desvantagem, eles têm dificuldades de se recuperar. Temos que continuar forçando o saque como fizemos contra o time cubano. Se, hoje fomos bem, amanhã temos que ser melhores ainda”, afirma Dante.

Com grandes defesas, o líbero Mário Jr foi um dos destaques da vitória sobre a equipe de Cuba. Para ele, o que vai decidir o título neste DOMINGO (25.07) é o coração.

Líbero Mário Jr diz que seleção tem que entrar com o coração

Líbero Mário Jr diz que seleção tem que entrar com o coração

“Temos que entrar desde o início com tudo, com o coração desde o primeiro set e do primeiro ponto até o final. Sair de quadra com o pensamento de que deu o máximo”, diz Mário Jr.

O levantador Marlon, que novamente saiu do banco e também teve uma excelente atuação contra Cuba também diz a receita para o Brasil chegar ao nono título da Liga Mundial.

“Jogamos bem contra Cuba, mas contra a Rússia, precisamos ser perfeitos. Os russos são mais conscientes e experientes que os cubanos”, adverte o levantador. “Foi uma bela vitória a de hoje, mas em relação ao meu desempenho, espero muito mais. Acho que estou muito abaixo do que eu posso fazer”, completa.

25 de julho de 2010 Posted by | Notícias | Deixe um comentário